Banner
Banner
Banner
Banner
Modalidades do Ciclismo

 

Um esporte muito mais complexo do que parece

Pensar que por se tratar de um esporte da qual se utiliza apenas uma bicicleta e achar que por isso é um esporte fácil de ser compreendido, está enganado. O ciclismo é muito mais do que simplesmente sentar em cima de uma e sair pedalando feito um louco. É claro que tem que se fazer isso para realizar as provas, porém, não é só isso.


O ciclismo admite pessoas tanto do sexo masculino quanto do feminino e está divido em quatro especialidades, cada uma com a sua peculiaridade, estilos e regras, que são: estrada, mountain bike, BMX (ou bicicross) e pista.


Veremos agora, como funciona cada uma delas.

 

 

Ciclismo Estrada

O ciclismo de estrada é uma modalidade bastante popular no mundo inteiro, talvez seja a mais clássica. É regulado pela União Ciclística Internacional (UCI) e é disputada em duas fases: prova individual contra o relógio e prova de estrada propriamente dita.

 

Contra o Relógio

Na prova contra o relógio, os ciclistas partem de uma rampa, com um minuto de intervalo entre si e competem num circuito previamente sinalizado. A distância para a prova masculina é de 40 km enquanto para as mulheres 20 km. Vence quem alcançar a linha de chegada no menor tempo possível. Isso explica o nome de prova “contra o relógio”.

 

Estrada

Todos os ciclistas largam em grupo, chamado de pelotão, para uma prova em um circuito de rua ou estrada, cumprindo uma distância média de 160 km para os homens e de 80 km para as mulheres. O vencedor é aquele que cruzar primeiro a linha de chegada.

 

 

Mountain Bike

O Mountain Bike, conhecido no bom português como o ciclismo de montanha, surgiu na década de 1960 nos Estados Unidos. Este esporte é dividido em várias modalidades, como: Downhill, 4X, Freeride, Trial, Trip Trail (Maratona), Uphill e Enduro de Regularidade.

Vejamos abaixo o que são cada uma delas.

 

Cross-Country

É uma prova disputada num circuito fechado em que os competidores devem realizar um certo número de voltas para completar a prova. Em algumas competições internacionais, esta modalidade é conhecida como XCO (Cross-Country Olímpico), em que nesta prova se deve cumprir alguns parâmetros técnicos como o comprimento da pista e o número de voltas.


Geralmente é realizada em uma trilha fechada, podendo ter também alguns trechos de estrada de terra ou até mesmo pequenos trechos com asfalto.


Durante a prova, os ciclistas podem receber apoio, desde que sejam em locais predeterminados pela organização. O vencedor é aquele que primeiro cruzar a linha de chegada.


A bicicletas especiais que os ciclistas utilizam tem uma estrutura reforçada com suspensão total (full suspension) ou só frontal e freios a disco hidráulico, dependendo da preferência do atleta.

 

Downhill (DH)

No downhill, o ciclista passa por um percurso em descida com poucas retas precisando passar por um terreno bastante irregular, natural ou artificial, com pontos de salto (jumps), vãos a serem superados com ou sem ajuda de rampa (gaps) e grandes degraus em que o ciclista se deixa “cair” para superá-los (drops). Cada ciclista desce um a um, com tomadas de tempo individual e o vencedor é aquele que fizer o percurso no menor tempo.


Para este tipo de prova, os equipamentos utilizados são: capacete full-face (fechado que protege o queixo, semelhante ao do motociclismo), joelheira com caneleira e ainda alguns optam por colete e cotoveleira.

 

Trip Trail (Maratona)

Esta modalidade tem um percurso longo de um ponto a outro, que pode ser ou não o mesmo do início da prova. No caso de ser o mesmo ponto, o ciclista realiza apenas uma volta.

Seu nome, Trip Trail, tem este significado porque é praticamente uma viagem por trilhas e estradas de terra. Quando o percurso é bem longo poder ser chamado também de Maratona e podem levar de dois a três dias para se completar uma prova.


Muitas vezes as trilhas são feitas por lazer pelos simpatizantes do Mountain Bike que costumam ter as mesmas características de um trip trail.

 

Freeride

Esta modalidade é uma variação do Downhill, o Freeride é utilizado como forma de lazer, tendo como principal diferença a utilização de terrenos variados, ao invés de ser apenas descidas, além dos passeios chamados north shores que consistem em andar por cima de árvores caídas ou por trajetos no alto de madeiras, criados dentro de florestas.


A bicicleta de Freeride apresenta algumas diferenças em relação ao Downhill. Um exemplo é o uso de mais uma coroa na relação de marchas dianteira.


Os passeios de Freeride dentro das cidades são chamados de Urban Assault e usam obstáculos urbanos como escadarias e obstáculos removíveis que geralmente são criados na hora.

 

4X

A modalidade 4X é muito parecida com a modalidade BMX. Quatro competidores descem simultaneamente em um terreno inclinado tendo a largada com gate no estilo BMX. Os ciclistas do 4X costumam vir das modalidades do BMX quanto do Downhill.

 

Trial

No Trial, o percurso contém diversos obstáculos a serem superados pelos competidores. Estes obstáculos são compostos de cavaletes, troncos, pedras, latões, muros e até mesmo carros.


Para poder praticar esta modalidade, as bicicletas costumam ter quadros pequenos reforçados, freios hidráulicos, protetor para a coroa e pneus mais vazios, principalmente o traseiro, que além de serem mais vazios, não tem câmara, é mais largo e composto de uma borracha mais mole, para aumentar o grip. O sistema da competição funciona com cada atleta começando com uma determinada pontuação e perdem pontos a cada vez que tocam o chão com algum dos pés.

 

Uphill

No Uphill, as provas são realizadas em subidas. O ciclista deve ter muita resistência física e um equipamento muito leve. O vencedor é quem chega ao topo primeiro.

 

Enduro de Regularidade

Nesta modalidade as provas são disputadas através de uma planilha com referências a serem cumpridas e uma média horária estipulada pela organização da prova. O objetivo desta competição não é ser o primeiro a chegar, mas sim, ser o mais regular e chegar no horário exato concedido ao competidor. Ao contrário das outras modalidades em que o competidor tem que somar mais pontos, nesta competição o atleta deve chegar ao final da prova com ZERO ponto. Para isso basta ele chegar no tempo certo, caso contrário, para cada segundo de atraso ele será penalizado com UM ponto e para cada segundo adiantado, TRÊS pontos. Portanto, o vencedor será aquele que obtiver o menor número de pontos.


Geralmente esta prova é disputada em duplas por trajetos como estradas abertas e trilhas fechadas.

 

 

BMX (Bycicle motocross)

Conhecido como bicicross, esta modalidade é o sucesso garantido entre públicos das mais variadas idades.


Este nome, derivado do Bycicle motocross, vem da origem das primeiras bicicletas que se pareciam muito com as motos.

O BMX cross, modalidade esta que começou a fazer parte dos Jogos Olímpicos de Pequim, na China, em 2008, são provas disputadas em circuito com várias voltas e obstáculos que contém morros, curvas e outros tipos de ondulações. Este circuito fechado tem extensão que varia entre 300 e 380 metros. O tempo de duração das corridas gira em torno de 30 a 40 segundos e devem ser superados pelos ciclistas sem erros ou quedas. As bicicletas são menores, geralmente aro de 20 polegadas.

Outras modalidades derivados do BMX como a Vertical (foto abaixo) e a Freestyle (foto acima) também possuem competições.

 

 

Ciclismo de Pista

Na modalidade do ciclismo de pista, o próprio no me já diz tudo: as provas são realizadas em velódromos, espaços de competições ou pistas oficiais de ciclismo conforme as normas da UCI (União Ciclística Internacional). Esta pista deve ser no formato oval, com curvas inclinadas que variam de 36 a 45 graus. Possuem extensão de 180 a 500 metros, sendo as mais usadas, pistas de 250 metros e 333 metros. São revestidas de cimento ou madeira.


Abaixo, seguem as modalidades que fazem parte do Ciclismo de Pista.

 

Velocidade 200 metros

Esta prova é disputada individualmente tanto no masculino quanto no feminino. Sendo uma modalidade de grande tradição no ciclismo no campo da velocidade, o ciclista deve dar três voltas na pista, consistindo em uma tomada de tempo contada a partir dos 200 metros finais do qual classificam os finalistas.


Após esta tomada de tempo, dois ciclistas são colocados dois a dois. O primeiro colocado é emparelhado com o último, o segundo com o penúltimo e assim por diante. Disputam então entre eles, matches (corridas) em melhores de três.

 

Velocidade por equipes

Recente nos Jogos Olímpicos, esta modalidade presente desde as Olimpíadas de Sidney, na Austrália, é realizada por duas equipes de três ciclistas cada uma, que largam de posições opostas do velódromo. O primeiro ciclista da equipe tem de puxar a primeira volta, o segundo, a segunda, e o terceiro, a terceira volta, todos respeitando a ordem de largada. O ciclista que completou a sua volta deve se retirar para a parte mais elevada da pista. A equipe que completar as três voltas no menor tempo é a vencedora.


Até pouco tempo apenas homens competiam nesta modalidade, porém, nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, na China, as mulheres também começaram a fazer parte dela.

 

Perseguição individual

Nesta modalidade, os ciclistas primeiramente realizam tomadas de tempos, e quem obtém os quatro melhores tempos disputam as medalhas de ouro e prata. Os que se classificam em terceiro e quarto, disputam a medalha de bronze. Os atletas largam em posições opostas  no velódromo e o ciclista que completar o menor tempo ou alcançar o adversário pelas costas é o vencedor.


A distância da prova para os homens é de 4 km. Para as mulheres, a distância é de 3 km.

 

Perseguição por Equipes

Nesta modalidade, somente homens participam. É considerada uma das provas mais emocionantes do programa. Também conhecida como “quarteta”, pois cada equipe é formada por quatro atletas, a fase classificatória que seleciona as quatro melhores equipes é igual a da perseguição individual.


Nas finais, a equipe vencedora será aquela que fizer o menor tempo dentro do percurso de 4 km ou alcançar os adversários pelas costas. Cada equipe deverá concluir a prova com três ciclistas.

 

Prova por pontos

Cada país pode participar desta prova apenas com um atleta. É uma prova individual que tem distância de 40 km para os homens e de 25 km para as mulheres.


Ao longo da prova, são 16 chegadas pontuadas para os homens e de 10 chegadas para as mulheres. São atribuídos cinco pontos ao primeiro colocado, três ao segundo, dois ao terceiro e um ponto ao quarto.


O ciclista que tirar uma volta de vantagem em relação ao pelotão ganha vinte pontos. Os que perderem uma volta perdem vinte pontos.


O ciclista que somar o maior número de pontos em toda a prova é o vencedor.

 

Keirin

Disputada pela primeira vez, em 2000, nos Jogos Olímpicos de Sidney, na Austrália, a modalidade Keirin trouxa para o ciclismo um pouco mais de radicalidade e modernidade para o esporte.


Praticada apenas por homens, oito ciclistas alinham-se conforme um sorteio realizado previamente, sendo que o primeiro é obrigado a seguir a moto, que está na pista para ditar o ritmo inicial da competição.


O ritmo inicia com 30 km/h atingindo até 50 km/h que é o momento em que a moto se retira da pista, restando de 600 a 700 metros para o final. Nas últimas voltas, há uma grande disputa pelas melhores posições e o ciclista que cruzar a linha de chegada em primeiro lugar, respeitando a linha que largou nos últimos 200 metros, ou seja, a linha de sprint é o vencedor.

 

Madison

Esta prova é realizada num percurso de 50 km do qual a dupla de ciclistas deve estar em perfeita sincronia já que devem se revezar a cada três ou quatro voltas. Enquanto um deles descansa na parte alta do velódromo, o outro imprime um ritmo forte na parte mais baixa da pista. A troca de posição, chamada de câmbio, é realizada por meio de um simples toque no companheiro ou de um lançamento feito com as mãos em que um ciclista literalmente lança o outro na pista. A cada vinte voltas, as chegadas são pontuadas no mesmo sistema da prova por pontos.


Caso alguma equipe ganhe voltas em relação a outras equipes, a pontuação neste caso torna-se irrelevante já que uma equipe será a vencedora pelo maior número de voltas. No caso de todas as equipes completarem o mesmo número de voltas, a pontuação é que irá decidir a classificação final da prova.

Somente os homens participam da prova de madison com o número máximo de 18 duplas para velódromos de até 250 metros de extensão.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
LIVRO: Fique por dentro dos Esportes Olímpicos, Editora: Casa da Palavra Produção Editorial.
LIVRO: A história dos Esportes. Duarte, Orlando. Editora: SENAC/SP.
LIVRO: O que é ciclismo. Silva Vieira, Armando Freitas; Rio de Janeiro: Casa da Palavra: COB, 2007.
SITE: Union Cycliste Internationale - www.uci.ch
SITE: Comitê Olímpico Brasileiro - www.cob.org.br

 

Blogs

Além das Quatro Linhas
Grondona se foi,mas será que deixa algum legado?Esperamos que não



por Além das Quatro Linhas

Linha de Chegada
Ayrton Senna – Parte 4: Os últimos anos



por Dyeison Martins

Pádel Show
WPT Barcelona



por Edson Moreira

ASSISTA

Banner
Banner

Newsletter




Copyright © 2014 Travinha Esportes. Todos os direitos reservados.