Banner
Banner
Banner
Banner
História do Handebol

Da Odisséia de Homero ao Handebol de Schelenz

Diferentemente de outros esportes, como o futebol, por exemplo, a origem do handebol é um pouco misteriosa, não sendo bem clara quanto ao seu surgimento. Pesquisadores encontraram em a Odisséia, de Homero, um jogo grego que se chamava urânia. Neste jogo, os atletas manejavam uma bola do tamanho de uma maçã em um campo sem balizas.

Um pouco mais adiante, da Idade Média para o Renascimento, na França, algumas atividades recreativas eram praticadas com jogos semelhantes ao handebol.

Contudo, foi a partir do século XVIII, que surgia o haandbold (foto acima), mais precisamente no ano de 1848, na Dinamarca, inventado pelo dinamarquês Holger Nielsen (foto abaixo). Este jogo, bastante parecido com o esporte atual, foi a alavanca para a evolução e o surgimento do handebol.

Na década de 1890, na Alemanha, esportes como o raftball, criado por um integrante da Federação Internacional de Futebol, e o torball, jogo que era uma diversão para as mulheres naquela época, eram muito parecidos com o handebol. Treinadas pelo professor Max Heiser, elas já praticavam a ginástica com bola e, logo depois, tornaram-se praticantes do jogo ao ar livre, chamado então de torball (foto abaixo). Neste jogo, a bola era o elemento principal e as partidas eram realizadas em campos de futebol. Cada equipe tinha 11 atletas. Hoje, este esporte modificou-se, e é jogado de uma maneira diferente, pois os jogadores ficam de joelhos em uma quadra, com os olhos vendados, cujo objetivo é arremessar a bola contra o gol adversário marcando gols.

Em 1918, com o fim da Primeira Guerra Mundial, os homens retornavam aos seus lares e não demoraram muito para começarem a praticar o esporte.

 

 

 

Karl Schelenz: o professor do handebol

Em 1919, o torball era um sucesso na Alemanha, contudo, este esporte passou por uma renovação, passando a se chamar handball (nome vindo do inglês hand=mão e ball=bola). Isto se deu graças ao professor alemão Karl Schelenz (foto acima), um renomado mestre na época. Depois de batizar o esporte, Schelenz passou a defender a oficialização de regras específicas para o esporte. O handebol era praticado em campo de futebol, como o torball, porém, haveria a inclusão de regras e as balizas, do qual o objetivo era marcar um gol. Mesma coisa que o futebol, porém, usando-se as mãos.

Sempre rodeado de grande prestígio na Alemanha, o professor não apenas conseguiu difundir o esporte rapidamente para o seu país como para seus vizinhos Suíça e Áustria.

Em 1920, o handebol tornou-se um esporte oficial na Alemanha, onde, cinco anos mais tarde, alemães e austríacos estiveram reunidos para realizarem a primeira partida internacional.

Neste mesmo ano, na República Tcheca, um esporte chamado hazena (foto acima), praticado desde o século XIX, era regulamentado. Muito parecido com o handebol, havia uma única diferença: cada equipe tinha sete jogadores para cada lado.

Devido o handebol ser praticado em campos de futebol, com os invernos rigorosos na Europa, os campos ficavam cobertos por neve, o que obrigava a paralisação das partidas por um longo período.

Mal o handebol havia sido oficializado e já sofreria algumas mudanças em suas regras. A primeira que sem tem registro, aconteceu na Suécia, onde o esporte deixou os gramados e passou a ser praticado em quadras fechadas e com equipes que não tinham mais 11 atletas, mas sim, sete para cada lado, como era no hazena, praticado pelos tchecos.

Contudo, havia ainda a relutância por parte daqueles que defendiam a prática do handebol jogado ao ar livre e com 11 atletas para cada lado. Foi assim que, em 1936, nos Jogos Olímpicos de Berlim, na Alemanha, o handebol foi apresentado ao mundo como modalidade de exibição.

No retorno das Olimpíadas, o esporte surgiria diferente. As partidas começaram a ser realizadas em ginásios com sete jogadores para cada lado, como na Suécia, e a prática nos campos de futebol foram extintas.

 

 

 

O handebol moderno: do campo para o salão, do salão à modalidade olímpica

Nos Jogos Olímpicos de Munique, na Alemanha, em 1972, as mudanças no handebol já haviam sido incorporadas seis anos antes, pelo menos. Com as modificações, o esporte passou a ficar mais emocionante e dinâmico e, o detalhe principal, podia ser jogado em qualquer época do ano já que havia sido trocado do campo de futebol para as quadras cobertas.

Nos Jogos de 1972, o handebol foi definitivamente elevado à modalidade olímpica e incorporado ao programa da competição. No início somente as seleções masculinas disputaram medalhas. Nos Jogos Olímpicos de Montreal, no Canadá, em 1976, o handebol foi aberto para as mulheres.

Desde 1972, o handebol nunca mais saiu do quadro olímpico de modalidades e, na Europa, é um esporte bastante apreciado, lotando os ginásios em partidas pelos campeonatos nacionais.

 

 

 

A história do handebol no Brasil

A foto acima não é de nenhum time brasileiro antigo de handebol, quando ainda era jogado no campo, mas sim da seleção da Alemanha, já que são os imigrantes alemães que trouxeram o handebol para cá em suas bagagens, quando vieram para o Brasil, após o fim da Primeira Guerra Mundial.

Assim como na Europa, aqui no Brasil, o handebol era praticado em um campo de futebol e tinha 11 jogadores para cada lado. Estados da região sul do país, assim como São Paulo, receberam diversos imigrantes alemães e, foi o estado paulista que adotou mais significativamente o handebol.

Em 1940, quase vinte anos após o Brasil conhecer o esporte, surgia a Federação Paulista de Handebol. Poucas competições houveram logo após a criação da Federação Paulista e os campeonatos eram praticados em campos.

Em 1954, o handebol deixava o campo passando para as quadras de salão, com sete jogadores para cada lado. Com isso foi criado o Primeiro Torneio Aberto, disputado em um local improvisado, na cidade de São Paulo. Nesta competição, a quadra de jogo tinha 40 metros de comprimento por 20 de largura, demarcado com cal e as traves utilizadas eram de madeira.

Pouco tempo depois, a Confederação Brasileira de Desportos, entidade que representava os esportes do país naquela época, criou um departamento exclusivo para o handebol. Com esta ação, começaram a se formar no início da década de 1960 times masculinos e femininos, o que fez com que a propagação da modalidade alcançasse todo o país.

Devido a uma decisão do MEC (Ministério da Educação e Cultura) da época, favoreceu o crescimento da modalidade no país. Por uma determinação federal, o handebol foi incluído na programação dos Jogos Estudantis (JEBs) e nos Jogos Universitários (JUBs). Isto ocorreu no final da década de 1960 e início da década de 1970.

 

 

 

O Brasil no cenário mundial

No final de década de 1970, mais precisamente, em 1º de junho de 1979, era fundada a Confederação Brasileira de Handebol (CBHb). Uma curiosidade na sigla da Confederação é o porquê em sua sigla conter a letra “b” em minúsculo. No próprio site da CBHb, a letra “b”, aparece em minúsculo, porque a Confederação Brasileira de Hipismo, cujo sigla é CBH, por ser mais antiga, o MEC determinou que fosse colocada a letra “b”, já que a sigla CBH havia sido registrada primeiro.

Curiosidades à parte, com o surgimento da CBHb, no início da década de 1980, com a modalidade mais organizada no país, tratando o handebol de uma maneira mais profissional, o Brasil começou a participar de competições internacionais. Em 1987, o país fez sua primeira participação em Campeonatos Mundiais. A seleção masculina de handebol entrou no Mundial B, ou seja, a segunda divisão do Campeonato Mundial, disputado na Itália. Sem conhecer seus adversários, obtendo informações imprecisas e também treinando na base do improviso com uma bola menor do que a adotada na competição, o Brasil não foi bem na competição. Neste mesmo ano, a seleção feminina de handebol também participou do Mundial B, disputado na Bulgária.

Em 1992, nos Jogos Olímpicos de Barcelona, na Espanha, a seleção masculina de handebol levava o Brasil a participar pela primeira vez em Olimpíadas no handebol.

Em 2000, nos Jogos Olímpicos de Atenas, na Grécia, a seleção feminina é quem fazia sua estréia em Olimpíadas.

As seleções brasileira masculina e feminina, respectivamente, conquistaram a medalha de ouro, em 2003, nos Jogos Pan-americanos de Santo Domingo, na República Dominicana.

Atualmente o Brasil vem crescendo no esporte, mas ainda falta bastante para chegar no nível das seleções da Europa.

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
- LIVRO: Almanaque dos Esportes, Editora Europa, 2009.
- LIVRO: A História dos Esportes, Orlando Duarte, 4ª ed. Editora Senac, SP, 2004.
- LIVRO: O Guia dos Curiosos: esportes 3ª ed. Marcelo Duarte, Editora Panda Books.
- LIVRO: Fique por Dentro – Esportes Olímpicos, Benedito Turco. - Rio de Janeiro. Casa da Palavra: COB, 2006.
- LIVRO: O que é Handebol, Silva Silveira, Armando Freitas. – Rio de Janeiro: Casa da Palavra: COB, 2007.
- SITE: Confederação Brasileira de Handebol - http://cbhb.mundozero.com.br/
- SITE: Federação Internacional de Handebol - http://www.ihf.info/
- SITE: Federação Paulista de Handebol - http://www.fphand.com.br/
- SITE: Comitê Olímpico Brasileiro - http://www.cob.org.br/

 

Blogs

Linha de Chegada
Foi a vez de Rosberg vencer em sua outra casa



por Dyeison Martins

Pádel Show
WPT Barcelona



por Edson Moreira

ASSISTA

Banner
Banner

Newsletter




Copyright © 2014 Travinha Esportes. Todos os direitos reservados.